Presidente do Sindicato Rural de Elesbão Veloso comenta ida a Brasília para discutir reforma da previdência.

Por José Loiola Neto

Cícero Marcos Oliveira, atual presidente do Sindicato Rural de Elesbão Veloso esteve em Brasília mês passado, oportunidade em que participou do 12º Congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura.

O encontro que reuniu centenas de dirigentes sindicais em todo o país serviu como espaço para por em discussão a Reforma da Previdência, em pontos que interferem diretamente na vida dos trabalhadores rurais, em caso da sua aprovação no Congresso.
Cícero do Cabana fala a Eldorado FM
Conforme Cícero do Cabana em entrevista a FM Eldorado, a promessa que se tem é que a classe não será atingida, porém ele entende que é preciso ficar atento juntos aos deputados que representam a bancada para que este não votem a favor que é prejudicial aos trabalhadores rurais.

O principal clamor dos dirigentes sindicais em todo o país e que estiveram participando do congresso da Contag é que não haja alteração dos direitos dos trabalhadores na agricultura, sobretudo no que se refere a idade para obtenção da aposentadoria.

Cícero Marcos ressalta que é inadmissível o farto de uma mulher que atua no campo chegar aos 55 anos, o tempo atual de aposentadoria, e pela nova regra ter que esperar mais 10 anos para ter acesso ao benefício.

- Isso é ridículo, e por isso mesmo, não está descartado voltarmos de novo a Brasília, precisamos ir pra cima do Congresso Nacional, temos que fazer tudo para que eles não aprovem essa matéria, não podemos aceitar que mexam no tempo de aposentadoria dos trabalhadores rurais.

O Piauí enviou ao congresso da Contag pelo menos 200 representantes sindicais distribuídos em 4 ônibus, e outros dirigentes seguiram em até a capital federal. Os outros 26 estados participaram do evento. No decorrer do evento foi elaborado um documento assinado pelos dirigentes, com intuito de chegue às mãos dos parlamentares de cada estado da federação, no intuito de sensibilizá-los a não votarem a favor da reforma.
Postagem anterior
Próxima postagem
Notícias Relacionadas

0 comentários: