quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

EXCLUSIVO- Vereador Fernando Moura fala a Eldorado Fm e define ação de bandidos contra ele e sua família: "terrorismo". Confira trechos da entrevista.

Fernando Moura fala a Eldorado FM
Nessa quarta-feira(11 de janeiro/2017), com exclusividade, o vereador Fernando Marcos Moura Vilarinho-PP, 44 anos, falou ao Eldorado News, informativo da FM Eldorado. Vítima de assalto e agressão praticados por dois elementos armados com revólveres em sua residência à Rua Coronel Antonio Teixeira, Centro, durante a noite de segunda-feira(9), o parlamentar detalha nessa entrevista a ação da dupla, que sem nenhum pudor praticou cenas de atrocidades. "o que a gente viveu foi um terrorismo", disse Fernando em determinado trecho da entrevista, cujos trechos principais seguem abaixo:

AÇÃO INICIAL DOS ELEMENTOS
- Foi tudo tão rápido que pra gente descrever é difícil. Eles anunciaram o assalto em frente a nossa casa na Rua Coronel Antonio Teixeira. Em frente a casa estavam sentadas a mamãe(ex-prefeita Rosa Moura), a Vandelice(esposa de Fernando Moura) e a Rosa do Edvar(professora aposentada, ex-vereadora), eles chegaram anunciando o assalto, caladinhos colocaram as meninas pra dentro de casa, eu estava dentro de casa com meu pai(Zé da Rosa), minha sobrinha, minha irmã estava deitada em um quarto, dai eles escantearam a gente em uma sala na parte baixa da casa. Logo pediram o carro, que estava em frente a casa, pediram a chave do carro. Conseguiram levar o carro, dinheiro, joias, meus documentos pessoais com cartões de banco da Vandelice minha esposa e do meu filho mais velho e celulares. Foi terrorismo. Eles deixaram a gente trancados, levaram o carro, abasteceram o carro no posto Santa Lúcia, colocaram R$ 59,00 de gasolina já que o carro estava na reserva; não sabemos se eles seguiram no sentido Teresina ou Valença.

VEJA TAMBÉM:
EXCLUSIVO- Vereador Fernando Moura fala a Eldorado Fm e define ação de bandidos contra ele e sua família: "terrorismo". Confira trechos da entrevista.

Carro do vereador Fernando Moura tomado em assalto segue sem pistas

FILME NA MENTE
- Eles me ameaçaram colocaram revólver na minha cabeça, me xingaram, me chamaram de vagabundo, então, foi terrorismo. Eu vi aquilo em televisão e naquele dia senti na pele.

SENTIMENTO DE INDIGNAÇÃO
- Elesbão Veloso está terrível, muita violência. Não somente aqui em todo lugar, mas a gente fala Elesbão porque somos da terra, somos da cidade, gosta, a gente tenta criar os filhos da gente e sermos chamados de vagabundo; estamos reféns dos vagabundos que na verdade são eles.

CARACTERÍSTICAS DOS ACUSADOS
- São dois cabras novos, morenos, mais altos do que eu, um forte, outro franzino, trajavam calça jeans, bonés, camisa polo, estavam armados cada um com revólver; um deles tapou um pano cobrindo o nariz e a boca, o outro não, um mais violento que estava pegado ao meus cabelos e com revólver se mostrou agitado, estava com medo dele.

NERVOSISMO
- Todos estávamos nervosos. Minha irmã está gestante ficou em prantos, a Vandelice também chorou bastante. Meu medo maior e era por nossas vidas, até porque tem aquela questão: vai se os anéis, ficam os dedos.
NADA PARECIDO ANTES
- Já assaltaram lá em casa(em Teresina), mas no momento não havia ninguém. Isso que vivi foi a primeira vez e com fé em Deus será a última.

ANÁLISE DA SITUAÇÃO
- Lamentável, triste. A gente não espera nem deseja isso pra ninguém. Tememos pela vida, Deus é bom e nos acalmou, nos deu serenidade e tocou no coração deles para que não fizessem nada de mal com a gente, nem levasse a gente. Não posso dizer que foi uma coisa premeditada, não sei se eles viram alguma facilidade para agir por observar a presença de três senhoras indefesas; eu não porto arma, não tenho arma, sou um cidadão, estudei para ser gente e educar meus filhos.

ACIONAGEM À POLÍCIA
- Imediatamente procuramos a polícia, demoramos pelo menos cinco minutos, afinal, estávamos com medo, dentro do quarto, com medo de sair, temendo que eles pudessem estar lá fora, mas resolvi pular uma janela que dá acesso a rua e logo me deparei com um rapz que foi muito prestativo, me ajudou muito- o Raimundo, ele me levou na delegacia, lá narrei o farto, logo eles acionaram a polícia em Valença, São Miguel da Baixa Grande, Prata do Piauí, Barro Duro...

MOVIMENTAÇÃO NA CASA PÓS ASSALTO
- Muita gente veio até nós, nessa hora a gente percebe que tem muitos amigos, graças a Deus, estou feliz hoje por estar vivo, minha família está em paz.

PROPOSIÇÃO CONTRA CRIMINALIDADE
- O efetivo policial em Elesbão Veloso é pequeno. Vivemos em um município que está a mercê da bandidagem, a delegacia foi queimada(em outubro de 2015) até hoje não foi adotadas providências por parte do governo. Os policiais trabalham em uma casa improvisada, o contingente é pequeno para o número de habitantes, o governo precisar adotar providências e as leis precisam ser mudadas.

MOBILIZAÇÃO JUNTO A AUTORIDADES
- Vou procurar o prefeito(Ronaldo Barbosa), vou falar com o doutor João de Castro(juiz da Comarca) e pedirei apoio.

NENHUMA PISTA DO CARRO
- Mobilizamos a polícia na mesma noite, o carro está com adesivo de campanha, o vereador Tácio me ajudou, no carro dele fomos até Barro Duro; o Osvaldo do tio Doutor e meu irmão Fábio foram no rumo de São Félix pela entrada do Capim Pubo, deram uma volta, quando cheguei na entrada de Hugo Napoleão já havia uma barreira, os policiais de São Miguel da Baixa Grande, haviam também policiais mobilizados em Passagem Franca, Barro Duro, entramos por uma área de matagal, próxima a uma plantação de eucaliptos, o delegado esteve com a gente até 4h da manhã(de terça, dia 10/1).

9/1/17: DIA PARA ESQUECER?
- Nunca. Acho que não dá pra esquecer, não tem como!, é uma noite para não esquecer, principalmente pela maneira em que a gente foi tratado, fomos amedrontados, humilhados, hostilizados, chamado de vagabundo. A gente estuda, procura ser alguém na vida, trabalhar, conquistar as coisas da gente com suor para de imediato a gente ser chamado de vagabundo.

REFÉNS DA BANDIDAGEM
- Totalmente. Somos reféns e os bandidos estão soltos por ai. Digo isso porque bateu na porta da gente agora. Tivemos vários casos: homicídios, sequestros envolvendo empresários. Sou um simples cidadão que trabalho para ter meus direitos reconhecidos perante a justiça, de repente somos tratados dessa maneira, não desejo a ninguém.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
- Gostaria que cada elesbonense me ajudasse. Qualquer pista ou sinal do carro me informem, é um corsa Classic 2014, placa OEI 6762 Teresina-PI cor cinza, tem meu adesivo no vidro traseiro.

Por José Loiola Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Total de visualizações