REVISTAS SEMANAIS- Veja os destaques de capa das revistas deste domingo, 11 de dezembro de 2016

ÉPOCA
Capa: O STF sai arranhado do julgamento de Renan Calheiros
“É preciso cumprir a decisão.” A frase de Teori Zavascki, em favor da saída de Renan da presidência do Senado, foi dita na terça-feira (6). Na quarta-feira (7), o Supremo votou pela permanência do parlamentar no cargo. O que aconteceu entre os dois momentos?

Odebrecht delata caixa dois para Lula
Diretores afirmam que petista recebeu da empreiteira nas eleições de 2002 e 2006

Marco Aurélio Mello: O homem que detonou a crise
O ministro que afastou monocraticamente Renan Calheiros da presidência do Senado foi derrotado pelos colegas em nome da estabilidade

ISTOÉ
Capa: Renancracia
Ao desrespeitar uma decisão do STF, a mais alta Corte da Justiça brasileira, o presidente do Senado Renan Calheiros colocou o País à beira de uma crise institucional sem precedentes. A questão é como seguiremos daqui para frente

A pedido de Dilma, Odebrecht pagou R$ 4 milhões a Gleisi
Em depoimento, Marcelo Odebrecht disse que fornecerá a Lava Jato detalhes de como repassou a quantia milionária para saldar dívidas de campanha de Gleisi Hoffmann em 2014. O recurso, transferido a mando da ex-presidente, não foi declarado e saiu do setor de propinas da empresa

Dilma pode ficar inelegível
Procuradoria da República do DF abriu novo inquérito contra a ex-presidente por causa das pedaladas fiscais em 2015. Ela responde por improbidade administrativa. Ao final, poderá perder os direitos políticos.

VEJA
Capa: Padilha operacionalizou dinheiro para Temer, diz delator
Lobista relata que escritório de ministro da Casa Civil foi utilizado para entregas de pagamentos da maior empreiteira do país

Delação: Jaques Wagner ganhou relógio de 25 000 dólares
Segundo Melo Filho, o ex-­ministro da Casa Civil de Dilma recebeu 3 milhões de reais, “de forma oficial e via caixa dois”

Delação da Odebrecht: Medidas Provisórias custaram R$ 22 milhões
Segundo o delator, Romero Jucá (PMDB-RR) centralizava o recebimento das propinas, sempre atendendo aos interesses da empreiteira

CARTA CAPITAL
Capa: Nova denúncia contra Temer evoca personagem citado por Cunha
Em pergunta barrada por Moro, deputado cassado indagou sobre relação de Temer com José Younes, agora citado por delator como intermediário de propina

ONU: PEC 55 é “erro histórico” que provocará “retrocesso social”
Para relator da ONU para pobreza extrema o texto é uma “medida radical, desprovida de toda nuance e compaixão”

Delação da Odebrecht aumenta a pressão sobre Geraldo Alckmin
Executivos relataram repasses milionários em espécie para a campanha do tucano, diz jornal. Caixa dois ou pagamento de promessa?

DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com o professor Antonio da Costa, de Sobral-CE


UM GESTO ATENTATÓRIO DOS DIREITOS HUMANOS
O adjetivo atentatório é da família de “atentar”, verbo que, entre outros significados, possui o de “despertar atentado”. Em atentatório está presente o sufixo “(t) ório”, acrescentado à forma verbal atentar. Vale lembrar que o adjetivo atentatório pode reger também as preposições “a” e “contra”. Ou seja: pode-se dizer também “um gesto atentatório aos direitos humanos”, “um gesto atentatório dos direitos humanos” ou “um gesto atentatório contra os direitos humanos”. A terminação “(t) ório” aparece, com o mesmo valor, em várias palavras, como probatório e comprobatório.

CURINGA OU CORINGA
Em muitas das nossas palavras, o “o” é lido como “u”. Isso nos faz ter um certo receio de escrever alguns vocábulos com a bendita letra “u’. É o caso de bueiro, que se escreve com “u” mesmo, mas não é o caso de poleiro, que se escreve com “o”, já que deriva de “pôlo” (falcão ou gavião com menos de um ano).

Nos baralhos, há uma carta que pode substituir outra: o curinga, com “u”. Jogador de futebol que joga em várias posições também é curinga, com “u”. Coringa é outra coisa. É um tipo de vela que se coloca em algumas embarcações.

O QUE É RESERVISTA
Não é difícil entender porque o reservista tem esse nome. A razão é simples: ele pertence à reserva (das forças militares do país). O que talvez seja difícil é relacionar reservar com observar, conservar e preservar. Pois pode relacionar, porque tudo isso é farinha do mesmo saco. A raiz dessa família “-serv-“ é latina. Vão para a reserva o cidadão e o que foi dispensado (que é o meu caso) de servir. Por falar em “servir”, qual é a regência desse verbo? O que se diz: “servir ao Exército” ou “servir no Exército”? Embora a maioria das pessoas optem pela primeira frase (servir ao Exército), a expressão correta é: servir no Exército. Anote também: Ele queria servir na Aeronáutica, mas acabou servindo na Marinha.

ABERTO (REGÊNCIA NOMINAL)
Rege “a” na acepção de receptivo, franqueado ou acessível. Exs.: Este é um governo aberto ao diálogo; É uma exposição aberta ao público; É um curso aberto a qualquer interessado. A regência “aberto para” deve ser desprezada. Na acepção de que tem acesso ou comunicação visual, rege “contra”, “para” ou “sobre”: Era uma janela aberta contra (ou para ou sobre) um belo jardim.

MAIS / A MAIS
Convém não confundir: “MAIS” se usa nas comparações: Carro importado no Brasil custa cem por cento mais que no país de origem. “A MAIS” é o mesmo que “de mais”; Recebi troco a mais. O mesmo se verifica com “menos” e “a menos”.

MAIORMENTE
Mormente, principalmente: Ele não admite brincadeiras, maiormente as de mau-gosto.

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Contatos: (088) 9409-9922 e (088) 9762-2542.

Veja as manchetes dos jornais neste domingo, 11 de dezembro 2016

JORNAIS DO PIAUÍ
Meio Norte-Teresina
No Estado do Piauí- R$ 18 bi desviados em corrupção
O Dia-THE
Falta qualificação a gestores municipais do PI, atesta TCE

NORDESTE
Tribuna do Norte-Natal
1854 assassinatos – Como chegamos a isso?
Jornal do Commércio-PE
Governo endurece
A Tarde-BA
Lula e filho dele são denunciados na Zelotes
O Povo-CE
Reforma na previdência
Correio da Paraíba
Quase morreram e decidiram matar

BRASIL
O Globo-Rio
Em oito anos Odebrecht pagou R$ 17 milhões por MPs e Leis
Folha de S.Paulo
Reprovação a Temer dispara sobre pessimismo econômico
Correio Braziliense
“Juiz do STF não pode violar regra”
Estado de Minas
Reação em cadeia
O Estado de S.Paulo
Delação atinge candidatos ao comando do Congresso
Extra-Rio
Aposentadoria: o Extra tira suas dúvidas
Valor Econômico
Ex-Odebrecht cita caixa 2 para Pezão, Paes, Lindberg e Garotinho
ZeroHora-RS
Odebrecht: delação de ex-diretor tem nomes de 51 políticos de 11 partidos

DE OLHO NA LÍNGUA- Dicas de português com o professor Antonio da Costa, de Sobral-CE

Professor Antonio da Costa
TER DIREITO A ALGO
Diz-se: Ter direito a alguma coisa; Ter direito a uma vida digna; O acesso à escola é um bem a que as crianças têm direito; “Mas também vamos querer tudo a que temos direito” (João Ubaldo Ribeiro – O Globo 12/10/2003). É gramaticalmente manca, portanto, esta frase de um jornalista: “O imortal poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade celebra o seu Centenário com tudo o que (o correto seria: com tudo a que) tem direito – O Globo 03/11/2002. Correção: “… celebra o seu Centenário com tudo aquilo a que tem direito.

TÊXTIL
Do Latim “textil”, que significa entrançado, tecido. 1) Adj. – que se pode tecer, próprio para fazer tecido, fibra têxtil; 2) relativo à tecelagem, indústria têxtil. Plural: têxteis. A construção: empregado têxtil, se formos analisá-la ao pé da letra, não tem sentido, ou tem sentido absurdo, pois ficaria assim: empregado tecido, ou empregado próprio para ser tecido. Mas como a semântica muda o sentido etimológico das palavras, o vocábulo têxtil foi mais um deles cujo significado etimológico foi mudado.
Gostaria de frisar que conforme o que foi exposto acima, a expressão “empregado têxtil” já está consagrada pelo uso. Portanto, a construção está correta.

TERRAPLENAGEM /TERRAPLANAGEM
De terraplenar + agem = terraplenagem – conjunto de operações de escavação, remoção, depósito e compactação de terra necessárias à realização de uma obra. Ex.: O meu projeto de terraplenagem seria mais econômico do que o de vocês. Variante: terraplanagem, por influência de plano ou aplanar.

CARGOS PÚBLICOS: QUEM NÃO LHES ASPIRA? / CARGOS PÚBLICOS: QUEM NÃO ASPIRA A ELES?
A segunda. Cargos públicos: Quem não aspira a eles? O verbo aspirar tem dois significados, cada um com sua construção ou regência:

1) com o sentido de cheirar, inalar é transitivo direto: aspirar o perfume (aspirá-lo); aspirar o pó (aspirá-lo); aspirar substâncias tóxicas (aspirá-las).

2) com o sentido de desejar ardentemente, anelar, ansiar é transitivo indireto com a preposição ‘a’ e, mais raramente, a preposição ‘por’: aspirar à glória (aspirar a ela); aspirar pelas férias (aspirar por elas). A preposição deve ser mantida quando o objeto indireto aparece em forma de oração: Ele aspira a ser um deputado: Ela aspira por vê-lo novamente. O objeto indireto não pode, neste caso, ser substituído por ‘lhe’, ‘lhes’. É necessário que apareça a preposição. O mesmo ocorre com o verbo assistir, na acepção de ‘presenciar’: Dizem que é um bom filme, mas eu ainda não assisti a ele (e não: lhe assisti).

O analfabetismo é “um” agravante ou “uma” agravante?
O analfabetismo, assim como falta de respeito, será sempre uma agravante na formação de qualquer personalidade. A exemplo de atenuante, a palavra agravante é feminina, apesar de muita gente boa usá-la como masculina, o agravante, o atenuante, doravante use a atenuante, a agravante.

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Contatos: (088) 9409-9922 e (088) 9762-2542.

UESPI oferece 40 vagas em letras Espanhol para Elesbão Veloso.

Elisângela Leal, coordenadora do polo da UAB em Elesbão Veloso

A Universidade Estadual do Piauí-UESPI está destinando à Elesbão Veloso através da Universidade Aberta do Brasil-UAB 40 vagas para o curso de Licenciatura Plena em Letras Espanhol. As inscrições no site www.nucepe.uespi.br abertas no início desse mês, terminará no dia 15 de dezembro. A prova com questões de múltipla escolha será aplicada no dia 15 de janeiro/2017. As taxas variam de R$ 30 a 100,00, sendo que  para quem concluiu os ensinos fundamental e médio em escola pública entre 2012 e 2016 pagará apenas R$ 30,00. A coordenadora do polo da UAB local, Elisângela Rodrigues Leal, ouvida pela Eldorado Fm disse que os aprovados vão estudar no polo da UAB em Elesbão Veloso. (Por José Loiola Neto)